Pages

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Saúde de São Gonçalo oferece aos usuários 262 itens de medicamentos

58092bcd-6683-4e57-b7b6-e8193ca6066eA Secretaria de Saúde de São Gonçalo do Amarante iniciou novo trabalho de reabastecimento nas farmácias das Unidades Básicas de Saúde. O órgão atualizou a lista de medicamentos disponíveis à população, que atualmente conta com 262 itens diferentes. A atualização da lista é feita pela equipe técnica, a farmacêutica responsável e os médicos que compõem o quadro da rede municipal.  

Deste leque de 262 medicamentos oferecidos pela Prefeitura Municipal, 204 são de uso essencial (antibióticos, analgésicos, antialérgicos, xaropes, frutificantes e outros) e estão ao alcance dos pacientes moradores de São Gonçalo, desde que seja apresentada a receita médica. Os demais 58 itens, integram a lista de medicamentos do componente estratégico, ou seja, precisam de restrição no uso por se tratar de tratamentos específicos como tuberculose, tabagismo, esquistossomose, hanseníase e outros.

“Aqui em São Gonçalo nós descentralizamos a entrega de medicamentos básicos, realizada nas próprias unidades de saúde, mas com relação aos medicamentos psicotrópicos são distribuídos aos usuários em duas unidades de saúde (são Gonçalo e jardim Lola), pois requerem a presença do profissional farmacêutico, também são disponibilizados aos pacientes em tratamento no CAPs (Centro de Atenção Psicosocial). Quanto aos medicamentos estratégicos são solicitados a UNICAT de acordo com os protocolos existentes.”, explicou o secretário municipal de Saúde, Jalmir Simões.

Jalmir informou ainda que existe em São Gonçalo um controle do fluxo de medicamentos para evitar desperdício de produtos vencidos e desabastecimento, inclusive com remanejamento de itens. Uma portaria municipal define os trâmites para abastecimento das farmácias básicas, onde estabelece que os gerentes das unidades encaminhem a reposição até o dia 20 de casa mês para a Central de Abastecimento Farmacêutico.

Segundo Simões o município conseguiu vencer a burocracia exigida pela Lei 8.666 que regulamenta os processos licitatórios. “O atraso na licitação acarretou a falta de alguns itens na nossa Central de Abastecimento, nós reconhecemos, mas não houve desabastecimento total. Agora, finalizada a licitação estamos regularizando o abastecimento. Nossa equipe montou uma estratégia para agilizar a entrega destes itens que estiveram em falta nas unidades de saúde”, afirmou.

Fotos: Secom - SGA/RN

Nenhum comentário: