Pages

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Açúcar em excesso faz mal e pode viciar, afirma nutricionista

O excesso de glicose na circulação é ruim. Mas, o excesso de frutose parece ser muito pior". Esta é a afirmação da nutricionista Islayne Nogueira, do Hapvida Saúde, ao fazer um alerta sobre o consumo exagerado de açúcar. De acordo com a profissional, a ingestão exagerada desse ingrediente faz mal principalmente porque ele gera vários tipos de doenças. Ainda segundo a nutricionista, existem vários tipos de açúcar: mascavo, demerara, cristal e refinado, além da frutose natural, que é saudável por vir acompanhada de vitaminas, minerais e fibras. Segundo ela, esses nutrientes garantem que a frutose seja absorvida lentamente pelo organismo, o que não acontece em outros casos.

"A frutose derivada do açúcar de cozinha e a frutose ultra concentrada usada no xarope de milho que adoça os refrigerantes e sucos industrializados só podem ser metabolizadas pelo fígado, enquanto que a glicose pode ser absorvida por outros tecidos, como músculos. Se os seus níveis de glicogênio hepático estão cheios, o que acontece todos os momentos do dia, exceto antes de tomar o desjejum, após isso, a frutose é transformada em gordura", reforça Islayne.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, uma pessoa pode consumir até 25 gramas por dia, o equivalente a seis colheres de chá ou duas colheres de sopa. Quando consumido, uma região do cérebro é ativada e ocorre a liberação de hormônios, que provoca algumas reações no corpo e pode viciar. "Ao ingerirmos açúcar, logo há a liberação dos hormônios Dopamina e Serotonina. Isso causa uma momentânea sensação de bem-estar, mas com a liberação da insulina, esse estado de excitação passa rapidamente, e a pessoa sente vontade de comer mais açúcar, portanto, é preciso cuidado porque ele pode sim viciar", afirmou a nutricionista.

Quando questionada sobre os alimentos industrializados que mais contém açúcar em sua composição, Islayne destacou os refrigerantes, sucos industriais, achocolatados, biscoito recheados, chocolate branco e ao leite e até molhos prontos. "Precisamos ficar atentos aos alimentos que mascaram o sabor do açúcar. A melhor forma de saber essa quantidade é fazendo a leitura dos rótulos dos alimentos e as tabelas nutricionais. Observar sempre quanto há de maltodextrina, frutose, xarope de milho, glucose, dextrose, xapore de frutose, açúcar invertido, maltose e amido modificado já podem ajudar a evitar um consumo excessivo", diz a profissional.

Para ajudar quem tem vontade de diminuir a quantidade de ingestão de açúcar, ela orienta que é preciso começar reduzindo o açúcar refinado para ir gradativamente mudando sua rotina até eliminar ele totalmente e mais: "Se escolher utilizar adoçante, prefira sempre os naturais como stévia ou xilitol", finaliza.

Nenhum comentário: