Pages

quarta-feira, 8 de março de 2017

Governador destaca interesse dos chineses em investimentos multissetoriais no RN

07.03 Coletiva de imprensa sobre missão na China (1)A comitiva norte-rio-grandense que esteve em missão oficial na China durante dez dias avançou significativamente no diálogo para a concretização de investimentos que ajudarão a economia potiguar a superar a crise. O balanço foi feito pelo governador Robinson Faria na tarde desta terça-feira (7), na Governadoria.

O chefe do Executivo Estadual ressaltou a importância da visita ao país asiático, sobretudo porque a missão oficial foi traduzida em possíveis investimentos dos chineses no estado nos próximos anos. O mais importante deles foi acordado com ao Chint, gigante mundial da produção de equipamentos  para a energia solar, em Xangai.

A reunião foi o desdobramento de um encontro estratégico realizada no Rio Grande do Norte em 2016, entre os chineses e o governador Robinson Faria. Do encontro, foi assinado na China um protocolo de investimento para instalação de uma fábrica de painéis fotovoltaicos que abastecerá toda a América Latina.

“Essa foi a nossa maior vitória na missão pela China. Sem dúvida foi uma ação exitosa do nosso governo para permitir que o estado volte a crescer. O protocolo está assinado com a segunda maior empresa do ramo no mundo. Aqui temos a matéria-prima inesgotável, que é o Sol, e uma área que temos muito a evoluir”, disse o governador, lembrando que está prevista já para este mês a visita do escalão precursor da Chint ao RN e, para junho, a chegada da diretoria para escolher a área de instalação da indústria.

Outro ponto positivo foi em relação à Zona de Processamento de Exportação (ZPE). A comitiva potiguar se reuniu com investidores e representantes da ZPE chinesa, e no encontro foi apresentada a ZPE de Macaíba, já regulamentada. “ Eles ficaram interessados em conhecer a nossa estrutura e fazer dela um entreposto comercial”, declarou.

Também em Xangai foi feito contato com uma empresa de fundos de investimento com foco na expansão para a América do Sul com valor orçado em $50 bilhões. Os principais setores de interesse são a fruticultura, terminal pesqueiro (pesca do atum), e as parcerias público-privada para construção de estradas.

Já em Hong Kong, início da viagem, a comitiva se reuniu com a Câmara de Comércio, que agrega todas as grandes empresas da China. Na pauta, sete empresas participaram de negociações para investimentos no Rio Grande do Norte, sendo as principais de infraestrutura, importação de frutas e energia renovável.

“O nosso balanço da missão pela China foi muito positivo. Surpreendeu a todos nós porque não esperávamos tamanho interesse dos chineses pelos nossos potenciais. Isso mostra que estamos no caminho certo, arriscando, buscando investimentos porque o Brasil vive um momento difícil. Temos que ir atrás de parceiros e não ficar na mesmice. Fomos buscar investimentos para combater o desemprego e fortalecer a nossa economia”, encerrou Robinson Faria. 

Nenhum comentário: