Pages

sexta-feira, 10 de março de 2017

Rafael Motta: "Não podemos fechar os olhos e esquecer todos os que serão atingidos com a Reforma da Previdência

fotoDeputado federal potiguar afirma que é necessário um debate mais amplo sobre o tema e que alterações na Previdência não podem atingir aqueles que mais precisam

O deputado federal Rafael Motta, do PSB, afirmou hoje (10), em entrevista à jornalista Anna Ruth Dantas, na 94 FM, que não se pode esquecer dos mais humildes neste momento de discussão da Reforma da Previdência e que, por isso, a proposta enviada pelo Governo Federal  que trata sobre o assunto deve ser melhor discutida, para que não se penalize o trabalhador. A afirmação foi feita ao lado do presidente da Fundação João Mangabeira, o ex-governador do Espírito Santo, Renato Casagrande. O parlamentar também defendeu uma ampla discussão da reforma em entrevista concedidas para outros veículos de comunicação como o Agora RN, a 95 FM, blogs e jornais impressos.

"Estamos mexendo com setores sociais fragilizados da nossa economia, com professores, mulheres, trabalhadores rurais, beneficiários de programas de prestação continuada. A gente não pode simplesmente fechar os olhos e esquecer uma massa que vai ser a mais atingida", afirmou o parlamentar, acrescentando que o ideal seria discutir amplamente o assunto, com diferentes segmentos sociais.

Para o ex-governador do ES, Renato Casagrande, o PSB "compreende que é preciso ter uma Reforma da Previdência, mas a proposta apresentada pelo atual governo é muito conservadora e ataca alguns setores da sociedade desprotegidos". "Tem alguns absurdos nessa reforma que fragiliza muito a Previdência dentro do contexto da seguridade social", acrescentou Casagrande, que é também secretário-geral do PSB Nacional.

Casagrande está em Natal para participar de evento promovido pela FJM em parceria com o PSB-RN, intitulado "Sem Crise: Desafios do Gestor em Tempos de Recessão", realizado hoje (10), Casagrande deu entrevistas a jornais impressos, sites e a rádios locais.

Nenhum comentário: