Pages

terça-feira, 22 de março de 2016

MPEduc promove audiências públicas em Itajá e Ipanguaçu


Eventos ocorrem no final de abril e servirão para gestores revelarem o que foi, ou não, melhorado nas escolas diante das recomendações do Ministério Público

O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado (MP/RN) irão realizar, nos dias 26 e 27 de abril, audiências públicas do Projeto Ministério Público pela Educação (MPEduc), nas cidades de Itajá e Ipanguaçu, respectivamente. Ambas irão ocorrer às 14h, no plenário das câmaras municipais.

As audiências serão comandadas pelo procurador da República Victor Queiroga e pela promotora de Justiça Kaline Almeida e dão continuidade ao trabalho iniciado em fevereiro de 2015, quando foram apresentados os detalhes do projeto aos educadores dos dois municípios. Numa fase inicial, foram aplicados questionários sobre a condição das escolas públicas. Essa etapa foi completada com inspeções às escolas e audiências públicas realizadas em abril do ano passado, quando os representantes do Ministério Público apresentaram os problemas detectados nas unidades escolares.

“Essas audiências de agora servirão para levar à população informações sobre como o poder público tem se portado frente às demandas registradas pelo MPEduc. É a oportunidade para os gestores mostrarem o que foi feito diante das recomendações expedidas pelo MPF e pelo MP Estadual”, explica o procurador Victor Queiroga.

Um total de 21 recomendações foram encaminhadas à Prefeitura de Itajá e outras 26 à de Ipanguaçu, ainda em 2015. Em agosto foram entregues, à Secretaria de Educação do Estado, recomendações tratando das deficiências encontradas nas escolas e creches estaduais localizadas nas duas cidades.

Os problemas mais comuns dizem respeito à infraestrutura dos prédios (infiltrações, rachaduras e deficiências nas redes elétrica e hidráulica), falta de professores, distribuição e armazenamento de livros, merenda escolar e diversos outros aspectos que necessitam ser melhorados, para garantir às crianças o direito à educação de qualidade.

Caso os gestores não comprovem o atendimento das recomendações e o encaminhamento da solução dos problemas apontados, o MPF e o MP/RN irão analisar a possibilidade ingressar com ações judiciais.

O MPEduc já chegou a sete municípios no Rio Grande do Norte. Além de Itajá e Ipanguaçu, participam do projeto Currais Novos, Cerro Corá, Lagoa Nova, Coronel Ezequiel e Santa Cruz. O projeto é de âmbito nacional, completa dois anos neste mês de abril e já é desenvolvido em 26 estados e no Distrito Federal. As cidades participantes são escolhidas levando em conta as de menores notas no Índice de Desenvolvimento Básico da Educação, o Ideb.

Nenhum comentário: