Pages

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Brasileiros sofrem “extorsão” do poder público, diz Rogério na Convenção Nacional do Comércio na Bahia

Na Praia do Forte, na Bahia, foi aberta nesta noite de quinta-feira (01) a 55ª Convenção Nacional do Comércio Lojista. Presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Comércio, Serviços e Empreendedorismo (CSE), o deputado federal Rogério Marinho (PSDB) esteve presente na solenidade de abertura do evento. Na oportunidade, rejeitou qualquer possibilidade de novos impostos no país e disse que os brasileiros são vítimas de extorsão do poder público, diante de tantos tributos.

“Nós temos um Estado muito maior do que a sociedade efetivamente suporta. Hipertrofiado. Que por isso mesmo cobra tributos muito acima do aceitável. O segundo problema é a burocracia, a complexidade do sistema tributário. Há uma espécie de competição entre os entes federados, município, estado e governo federal, que se digladiam entre si para ver quem consegue extorquir mais o comerciante e a população brasileira”, disse Rogério, arrancando aplausos da plateia, composta por empresários de todo o país.

O parlamentar enfatizou ainda que o país passa por um momento especial da sua história. “O Brasil nos dá a todo momento lições de maturidade, e mostra que apesar de todos os percalços consegue sempre seguir adiante. Agora, nós temos um desafio. Precisamos definir se essa crise vai nos levar a todos para o fundo, como uma âncora, ou se será um novo propulsor para virarmos essa página e seguirmos adiante. Eu acredito, sim, que é possível fazermos uma nova história”, completou.

A modernização da lei trabalhista, uma das prioridades defendidas pela Frente CSE, também ganhou destaque no discurso de Rogério. O deputado voltou a defender o trabalho intermitente, que regulamentará a contratação temporária de trabalhadores para eventos como o carnaval, São João ou micaretas, por exemplo. “Mas o Brasil possui uma lei de 80 anos, que não pode ser ultrapassada sob o conceito prévio de que é um direito assegurado. Direito assegurado é o trabalho, o salário, o desenvolvimento e a educação de qualidade”, disse.

A Convenção Nacional do Comércio Lojista segue até o próximo domingo (04), sob o comando da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). O evento reúne cerca de 2,3 mil dirigentes e empresários e tem como objetivo promover o fortalecimento da classe em relação ao aprimoramento e desenvolvimento de novos negócios, por meio da troca de experiências. O tema do evento este ano é Educar e Construir Novos Rumos.

Nenhum comentário: