Pages

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

2016 – Ano de consolidação do Projeto da Palma Irrigada e Adensada

O ano de 2016 pode ser considerado como o mais importante para o Projeto da Palma Irrigada, resultado de um convênio entre a EMPARN/MDA/Banco do Brasil. No mês de maio foram finalizadas as implantações de 21 unidades demonstrativas nas regiões do Seridó, Mato Grande, Trairi e Potengi, onde cada agricultor recebeu 5 mil raquetes sementes de variedades tolerantes à Cochonilha do Carmim (Orelha de Elefante Mexicana e Miúda ou Doce). Essas unidades foram selecionadas em parceria com o IDIARN e a EMATER-RN e contemplaram os seguintes municípios: Carnaúba dos Dantas, Cerro Corá, Currais Novos, Equador, Florânia, Lagoa Nova, Ouro Branco, Parelhas, Santana do Seridó, Serra Negra, Tenente Laurentino, Bento Fernandes, Campo Redondo, Coronel Ezequiel, Jaçanã, João Câmara, Riachuelo, Rui Barbosa, São Tomé, Sítio Novo e São Paulo do Potengi.

Essas unidades foram implantadas em áreas de sequeiro em municípios com tradição no cultivo da palma e com informações da presença de focos da Cochonilha do Carmim. Mesmo com a severa seca que assola o estado, as unidades continuam sobrevivendo, sendo monitoradas por visitas dos técnicos do projeto com levantamentos e controle de pragas como a Cochonilha de Escama. Periodicamente são feitas análises de solo e acompanhamento de estande para avaliar necessidades de replantio no início do inverno.

Outra meta do projeto previa a implantação e acompanhamento de 16 hectares de unidades multiplicadoras irrigadas de raquetes sementes de variedades tolerantes à Cochonilha do Carmim em estações experimentais da EMPARN. Foram finalizados os plantios de nove hectares na Estação de Apodi, quatro hectares na Estação Experimental de Terras Secas (Pedro Avelino) e três hectares na Estação Experimental de Cruzeta. Espera-se com essa ação que ao final do ano de 2017 a EMPARN possa repassar aos produtores um volume superior a 1,5 milhão de raquetes de materiais com alta produtividade e tolerantes à Cochonilha do Carmim.

Na área de pesquisa, o projeto contemplou quatro áreas de atuação envolvendo as temáticas de controle de cochonilhas da palma forrageira: utilização de águas residuárias e salinas, avaliação de densidades de plantio e lâminas de água e multiplicação de materiais via cultura de tecidos. Já foram concluídas duas dissertações de mestrado nos temas de lâminas de água e adubação (UFRN) e utilização de águas residuárias (UFERSA). Encontra-se em andamento, em Apodi, uma tese de doutorado sobre níveis de salinidade (UFRPE) e outra de mestrado (UFERSA), além de uma pesquisa envolvendo a avaliação de diferentes densidades, variedades e a utilização da irrigação por aspersão. Com base nos resultados dessas pesquisas, a zootecnista Suênia Flávia de Araújo Dantas, do Banco do Brasil de Natal, defendeu no mês passado sua monografia de conclusão de um MBA de Especialista em Agronegócios na ESALQ, na qual foi comprovada a viabilidade econômica e financeira do sistema testado. Ainda na temática de pesquisa, foi realizada uma parceria com a Embrapa Semiárido e a Embrapa Gado de Leite para acompanhamento de três unidades de palma no Município de Lagoa de Velhos.

Na meta de difusão de tecnologia, o projeto foi divulgado em todas as exposições agropecuárias realizadas em 2016 em municípios como São Paulo do Potengi, Caicó, Currais Novos, Lajes, Mossoró e Parnamirim (Festa do Boi). Além da distribuição de raquetes sementes de variedades tolerantes à Cochonilha do Carmim, foram repassadas aos produtores cartilhas e folders com informações detalhadas sobre a implantação, manejo e utilização da palma forrageira irrigada. Na Festa do Boi foram plantadas áreas com esses materiais, além de realizadas demonstrações da multiplicação de raquetes por partição, sendo recebidas pelos técnicos do projeto as excursões de produtores conduzidas pelos extensionistas da EMATER e por técnicos do SEBRAE-RN. Ainda em 2016, como previsto no projeto, foram impressos 4 mil exemplares da cartilha “Palma forrageira irrigada e adensada: uma reserva forrageira estratégica para o semiárido potiguar”, assim como 4 mil folders com a mesma temática de forma condensada. Além dessas atividades foram realizados dias de campo e palestras na Estação Experimental de Terras Secas, em São Paulo do Potengi, para alunos do curso de Zootecnia da UFRN, para selecionadores de gado Sindi, para a comitiva do Ministro do MDA em exercício e também fora do estado, em workshop realizado pela Embrapa Semiárido em Petrolina e no Dia D em Taperoá – PB.

Ainda no ano de 2016 foi finalizado o pregão para seleção de técnicos de apoio ao projeto, sendo contratados seis técnicos que hoje estão atuando nas estações experimentais de Apodi, Cruzeta, Terras Secas e Parnamirim.

A equipe do Projeto atuou ainda em parceria com a EMATER-RN na elaboração do projeto “Fortalecimento da Pecuária Leiteira Bovina e Caprina do Estado do Rio Grande do Norte”, vinculado ao Programa RN Sustentável. O projeto contempla a atividade de “Ampliação da área de produção de palma forrageira tolerante à Cochonilha do Carmim”, no qual está prevista a aquisição de 2,76 milhões de raquetes sementes de palma, para atender 500 produtores do Estado. Essa ação encontra-se em fase de realização do pregão de aquisição das raquetes pela Secretaria de Planejamento do Estado.

Para finalização das metas do projeto está prevista para 2017 a implantação de 22 unidades irrigadas de 0,2 ha em estabelecimentos de agricultores familiares em diversas regiões do Estado, particularmente naquelas dos sertões de baixa altitude, nas quais a palma não prospera em regime de sequeiro. A seleção dessas unidades está sendo feita em parceria com a EMATER-RN e com técnicos do Programa Sertão Empreendedor, do SEBRAE-RN. Os pregões para aquisição dos equipamentos de irrigação encontram-se na fase de avaliação das propostas e elaboração dos termos de referência.

Como resultado das atividades desempenhadas pela equipe do projeto, a EMPARN foi convidada para atuar como uma das coordenadoras e executoras do “V Congresso Brasileiro de Palma e Outras Cactáceas”, em parceria com a FAERN e SEBRAE, que acontecerá em Parnamirim, no período de 7 a 8 de agosto de 2017.

Nenhum comentário: