Pages

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

MISSÃO COM SUCESSO, DIZ MINISTRO DA DEFESA SOBRE AÇÃO DE MILITARES EM NATAL

16649509_996062177160734_5460002135663175128_nO ministro da Defesa, Raul Jungmann, apresentou nesta segunda-feira (06) os resultados da Operação Potiguar II. A ação, que durou 16 dias, contou com a presença de cerca de 1,8 mil homens da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira no combate a ataques criminosos iniciados após a matança de pelo menos 26 presos da penitenciária estadual de Alcaçuz. Para Jungmann, a ação foi um "sucesso".

"A missão foi um sucesso. E isso se deveu pela articulação com forças de segurança do Rio Grande do Norte. Tivemos um bom resultado graças à essa integração. O presidente Michel Temer, eu e as Forças Armadas continuamos à disposição deste estado e agradecemos o apoio que encontramos nas ruas por parte da população", falou o ministro. Segundo Jungmann, a Operação Potiguar II teve um custo de R$ 8,8 milhões.

O governador Robinson Faria também participou da apresentação. "Tenho gratidão pela rapidez com que o presidente Temer autorizaram as Forças Armadas para apoiar a segurança em nosso estado. Foi uma operação exitosa, o RN voltou à normalidade. Essa luta é em todo Brasil", falou.

O emprego das Forças Armadas foi autorizado pelo presidente Temer no dia 19 de janeiro, quando decretou ações de Garantia da Lei e da Ordem entre os dias 20 e 30 de janeiro, período posteriormente prorrogado por 5 dias. Segundo o ministro Jungmann, o objetivo da Operação Potiguar II foi a preservação da ordem pública e a incolumidade das pessoas e do patrimônio da região metropolitana de Natal, em razão da deflagração de ações de criminosas.

A força-tarefa era composta por cerca de 1.850 militares das Forças Armadas, sob controle operacional do Exército Brasileiro, que realizaram mais de 3.800 ações em prol da segurança pública no Rio Grande do Norte.
Durante a Operação Potiguar II, foram guardadas 296 áreas de interesse; instalados 710 pontos estáticos, 139 pontos de segurança, 20 pontos de bloqueio de estradas, e 44 pontos de controle de vias urbanas. Foram realizadas 635 patrulhas à pé, 1.964 motorizadas, 12 fluviais e 6 aéreas, além de 28 escoltas e 54 ações de reconhecimento.

Nenhum comentário: