Pages

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Operação de cerco a terroristas termina com 2 suspeitos mortos e 7 detidos em Paris

Um intenso tiroteio e explosões foram registrados na madrugada desta quarta-feira (18) durante uma grande operação da polícia em um subúrbio de Saint-Denis, região que fica ao norte de Paris.

Dois suspeitos morreram e outros sete foram presos na operação antiterrorista, que terminou por volta de 8h30 (horário de Brasília), segundo François Molins, procurador da República em Paris. Eles ainda não foram identificados, de acordo com Molins. Em um primeiro momento, veículos de imprensa estavam no local informaram que três pessoas haviam morrido. 

Segundo a polícia francesa, cinco policiais tiveram ferimentos leves. Um cão policial de 7 anos, uma pastora alemã chamado Diesel, foi morta no confronto com os terroristas.

De acordo com o ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, os serviços de inteligência franceses receberam a informação de que obelga Abdelhamid Abaaoud - suspeito de ser o mentor dos atentados de sexta-feira (13), que deixaram pelo menos 129 mortos - estava no flat em Saint-Denis, o que motivou o cerco. Até então, acreditava-se que Abaaoud estivesse na Síria.

Não há confirmação de que ele tenha sido morto ou detido na operação, e nem que ele estivesse mesmo no apartamento.

Entre os dois mortos no apartamento está uma mulher-bomba que se suicidou ao detonar os explosivos que carregava junto ao corpo. O outro foi um terrorista morto ao ser atingido por projéteis e granadas, segundo a procuradoria.

Pelo menos três pessoas que estavam no apartamento foram presas. Entre os outros quatro detidos está o proprietário do apartamento onde os suspeitos estavam. À AFP, antes de ser preso, ele teria alegado que não sabia que os homens eram terroristas e que estava apenas atendendo ao pedido de um amigo.

De acordo com a agência Reuters, citando uma fonte próxima às investigações, os suspeitos cercados no apartamento planejavam realizar um ataque ao distrito financeiro parisiense de La Defense.

Cerca de 15 pessoas, incluindo mulheres e crianças, foram removidas pela polícia do prédio no início do operação.

Testemunhas disseram que os disparos e explosões começaram por volta das 4h30 locais (1h30 de Brasília). O dispositivo policial foi reforçado por militares, que chegaram em caminhões do Exército e se posicionaram nas esquinas do local. A polícia estabeleceu um amplo perímetro de segurança em torno do edifício e manteve a imprensa a uma grande distância do local. 

A ação ocorreu em pleno centro de Saint-Denis, o mesmo local em que fica o Stade de France, onde três terroristas se explodiram na sexta-feira e mataram uma pessoa quando ocorria o amistoso entre França e Alemanha no estádio.

A troca de tiros aconteceu nos arredores da Praça Jean Jaures, muito perto da histórica basílica gótica da cidade, onde estão enterrados vários dos reis da França.

O administrador de Saint-Denis, Didier Paillard, pediu aos cidadãos que vivem no centro da localidade que não saiam de suas casas até segunda ordem.

Além disso, o tráfego de trens entre as estações de Saint-Denis Université e Saint-Denis Porte de Paris foi interrompido, anunciou a companhia de transportes da região parisiense RATP. (Com agências internacionais)

Nenhum comentário: