Pages

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Turismo evita prejuízo maior no comércio varejista do RN

Previsões da Fecomércio RN e economistas do mercado financeiro já apontavam queda no volume de vendas do comércio varejista potiguar – a primeira desde 2005, quando o IBGE iniciou a pesquisa histórica nesse ramo. E o percentual de 5,9% negativo só não foi maior graças ao desempenho recorde do turismo potiguar em 2015.

O planejamento de ações, a ousadia na tomada de decisões pelo Governo do Estado e Secretaria de Turismo e a política de divulgação dos destinos amenizaram um tombo ainda maior do comércio no RN, sendo apenas a segunda menor queda entre os Estados da Federação (empatado com São Paulo e atrás de Roraima). Nos vizinhos Pernambuco e Ceará, por exemplo, as quedas foram de 10,8% e 8,3%, respectivamente.

Na contramão da crise, o crescimento do Turismo no RN foi acima da expectativa. Segundo dados da seccional potiguar da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/RN), houve um aumento médio de 20% na ocupação hoteleira no Esstado (22% em Natal), se comparado a 2014. Esse percentual representa injeção de R$ 3,9 bilhões à economia potiguar, sendo um acréscimo de R$ 800 milhões aos R$ 3,1 bilhões registrados ano passado. 

“Turismo gera empregos diretos, induzidos e indiretos e, consequentemente, poder de compra e impostos. Contribui ainda para transferência de renda e equilíbrio no desenvolvimento das regiões. Enfim um gestor público entendeu esse potencial econômico e a vocação do nosso Estado para o turismo. A prova de que o setor pode modificar o panorama sócio-econômico do Estado esta aí”, comentou o titular da pasta estadual do Turismo, Ruy Gaspar.

Nenhum comentário: